A epicondilite, também conhecida como cotovelo de tenista, consiste na inflamação dos tendões dos músculos extensores do pulso e dos dedos (situados no dorso do antebraço), que se inserem no epicôndilo, ou seja, na saliência óssea que se encontra do lado externo do cotovelo.

Esta patologia deve-se à inflamação e às micro-rupturas das fibras dos tendões devido a sobrecarga, movimentos bruscos ou repetitivos.

Sintomas da epicondilite

O sintoma mais comum da epicondilite é a dor na face externa do cotovelo.

Essa dor pode ser agravada pela execução de movimentos repetidos ou quando pega em algo pesado.

Para além da dor, podem ainda manifestar-se outros sintomas, como por exemplo:

  • Falta de força para pegar ou segurar objectos.
  • Rigidez dos músculos do antebraço.
  • Irradiação da dor do cotovelo para o antebraço e para a mão, ao segurar ou torcer algum objecto.
  • Sensibilidade na região afetada.

Causas da epicondilite

Em primeiro lugar, as causas da epicondilite são a sobrecarga, os movimentos repetitivos e os movimentos bruscos.

Se gerar grande tensão nos músculos que têm origem na região externa do cotovelo, como por exemplo a segurar ou a transportar um objecto pesado por um longo período, vai sobrecarregar os tendões que ligam o músculo ao osso, levando assim à inflamação e ao aparecimento das microlesões desses tendões.

Para além disso, movimentos repetidos com os pulsos e dedos nas atividades do dia-a-dia também afetam estes tendões.

Complicações possíveis caso não faça tratamento

Tal como qualquer outra patologia, sempre que haja tratamento possível, o ideal é tratá-la o quanto antes.

Caso contrário, poderão surgir algumas complicações, como por exemplo:

  • Dor crónica no cotovelo
  • Limitação nos movimentos
  • Formação de tendinose (desgaste do tendão)
  • Ruptura do tendão (devido ao desgaste do mesmo)

Tratamento da epicondilite

O nosso tratamento para a epicondilite consiste na aplicação e combinação de diversas técnicas terapêuticas, das quais se destacam a massagem terapêutica, a acupunctura e a fitoterapia chinesa (plantas medicinais).

A experiência diz-nos que após 3 tratamentos os pacientes referem melhoras significativas.

 

> Marque a sua consulta connosco <