Cada vez mais pacientes chegam até nós para recuperação do pós operatório. As razões são diversas, mas a principal é a cicatriz, que muitas vezes fica com aspecto pouco agradável, o local apresenta dores (mesmo depois de bastante tempo), os tecidos ficam duros, há perda de sensibilidade, edema local, etc.

No local das cicatrizes, a circulação de energia, sangue e líquidos não é tão fluida, gerando desconforto e dor. O desconforto pode ser apenas local, mas pode afetar outras partes do corpo. Podemos tomar como exemplo as cirurgias no abdómen (cesariana, abdominoplastia, apendicite aguda, histerectomia, etc.) que são causa de muitas das dores na região lombar e ombros e problemas do sistema imunitário.

Como é isto possível?

Podemos explicar isto através de duas formas:

  1. Perspectiva da Medicina Chinesa: uma cicatriz indica uma afecção da circulação nos meridianos onde esta se encontra. Como os meridianos se encontram conectados em sistema de rede, afectam-se mutuamente, originando sintomas noutros meridianos, além do que está afectado, abrangendo portanto outras partes do corpo.
  2. Perspectiva da Medicina Convencional: no corpo existe um tecido chamado fáscia. A fáscia, tecido conectivo ou conjuntivo, mantém e conecta entre si todas as estruturas do corpo humano, formando uma teia que se distribui desde a cabeça até aos pés sem interrupção, envolvendo todo e qualquer tecido do corpo. Quando lesionado num local, vai afectar e mexer o tecido todo. Imagine que é como um vestido feito com uma peça única que veste o corpo inteiro. Se o cortar e voltar a cozer, vai ter que o puxar, logo vai estar a puxar o vestido inteiro, dando uma sensação de “aperto” em vários lugares.

É possível tratar?

Sim, na Clínica José Fontes intervimos praticamente todos os dias na recuperação pós cirurgia. No caso das cicatrizes, são aplicadas técnicas como a massagem Tui Na, a acupunctura, a ventosaterapia (cupping), a libertação miofascial, ervas medicinais chinesas, entre outras. Com estas técnicas há uma libertação dos tecidos, dando-lhes de volta elasticidade. As cicatrizes também são disfarçadas, de modo a causarem menos impacto visual. Além disso, ainda é feita uma avaliação para compreender as interferências que a cicatriz pode estar a ter no funcionamento do corpo.

Casos clínicos:

Paciente do sexo feminino sujeita a cesariana. Após a cirurgia manteve sempre dor lombar. Após o tratamento da cicatriz, todos os sintomas passaram.

Paciente do sexo masculino com dor lombar, anca, ombro e cervical. Já havia recorrido a vários tratamentos ocidentais, mas dos quais apenas resultava alívio temporário. Causa das patologias: cicatriz resultante de apendicite aguda. Após o tratamento na nossa clínica, o paciente nunca mais teve dores.

Se a sua cicatriz é incómoda de alguma forma ou apresenta algum dos sintomas acima mencionados, fale connosco. Com certeza poderemos ajudar.